Setor de serviços cresceu 6,6% em junho, melhor resultado desde 2011

Dados foram apresentados pelo IBGE

Desde que foi iniciada a chamada série histórica, em janeiro de 2011, não se registrava um resultado tão bom. O volume de serviços prestados no Brasil avançou 6,6% em junho, na comparação com maio, segundo pesquisa de desempenho do setor divulgada esta semana pelo IBGE.
Essa alta vem após uma queda de 5% em maio, a maior também já registrada pela pesquisa, fortemente influenciada pela greve dos caminhoneiros, que durou 11 dias no final de maio.
Apesar de ter conseguido mais do que se recuperar das perdas de maio, o setor encerrou o 2º trimestre com uma queda de 0,3% na comparação com o 1º trimestre do ano - a segunda queda consecutiva. Na comparação com o mesmo trimestre de 2017, também houve queda de 0,3% - a 14ª queda nesta base de comparação.
O setor de serviços tem forte peso na economia brasileira, representando cerca de 70% da composição do Produto Interno Bruto (PIB), e ainda não conseguiu recuperar as perdas dos últimos anos. Encerrou o mês de junho operando num patamar semelhante a fevereiro do ano passado, ficando 10,5% abaixo do maior pico do setor, alcançado em janeiro de 2014.
Queda no semestre e no acumulado em 12 meses
Em relação à junho de 2017, o volume de serviços avançou 0,9%. Com isso, houve redução no ritmo de queda do acumulado do ano, que passou de -1,3% em maio para -0,9% no 1º semestre.
Já o acumulado em 12 meses ficou em -1,2%, superando o resultado anterior à greve dos caminhoneiros, já que em abril o indicador havia sido de -1,4% e o de maio, -1,6%. Apesar do resultado negativo, o IBGE aponta que há sinais de recuperação.
  Postado: 16/08/2018

Deixe o seu comentário

0Comentários

Voltar