Reforma não tira direito de quem já pode se aposentar

A Reforma da Previdência deverá ser uma das primeiras medidas que o novo presidente terá de enfrentar a partir de janeiro. As mudanças nas regras devem levar a um grande aumento nos pedidos de aposentadoria, já que muita gente teme perder benefícios com as alterações que estão sendo propostas.
No entanto, essa atitude é considerada precipitada por especialistas, pois os trabalhadores que já completaram os requisitos para pedir os benefícios são justamente aqueles com mais chances de escapar de eventuais mudanças nas regras.
Os trabalhadores que, apesar de não estarem aposentados, tiverem as condições exigidas para receber a aposentadoria pela regra atual não devem perder esse direito em caso de mudança na legislação previdenciária.
Essa garantia existe porque os efeitos de uma nova lei não podem voltar no tempo para prejudicar direitos já conquistados.
A criação da idade mínima de aposentadoria, principal ponto das discussões envolvendo a reforma, é também o maior motivo de apreensão entre os segurados que esperam se aposentar logo.
Hoje, os brasileiros podem se aposentar ao completar o tempo de contribuição de 30 anos (mulher) ou 35 anos (homem). As propostas para o novo sistema previdenciário, porém, tendem a combinar um período obrigatório de recolhimentos com uma idade mínima.
Em vários dos países que possuem essa regra, a idade de aposentadoria gira em torno dos 65 anos. Mas a tendência é que a idade mínima inicialmente proposta no Brasil seja mais baixa.
Se você antecipar o pedido de aposentadoria por medo de possíveis mudanças nas regras pode ter prejuízo na renda. O risco é aceitar um alto desconto no salário, devido à aplicação do fator previdenciário.
  Postado: 28/12/2018

Deixe o seu comentário

0Comentários

Voltar