Prazo para implantação do eSocial é adiado: prepare-se

Ferramenta também será obrigatória para MEIs

Empresas que faturam até R$ 4,8 milhões por ano devem se preparar para a implantação do eSocial, que foi adiada para novembro. Especialistas estimam que a medida deve mudar bastante desde a organização até o processamento de dados enviados aos órgãos governamentais.
Essa mesma ferramenta também será obrigatória para MEIs (Microempreendedores Individuais), que possuem funcionários registrados em carteira. Obrigatório no Brasil desde o ínicio do ano, o programa já está em funcionamento em empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões anuais.
“Empresa de menor porte terão um pouco mais de tempo para se planejar e se adaptar ao sistema, principalmente no que se refere-se ao gerenciamento interno dos dados”, diz Wilson Simonato, diretor da SCS Contábil.
Um dos objetivos do eSocial é fazer com que as empresas deixem de acumular papel e passem a vivenciar uma rotina de digitalização, com a geração de documentos on-line. “Por isso a necessidade do profissional ter uma mínima familiarização com informática”, afirma Wilson.
Entre os principais documentos que devem estar atualizados antes da implantação do programa estão o livro de registro de funcionários, assim como seus cadastros, folha de pagamento, obrigações acessórias e laudos da Medicina do Trabalho.
Para especialistas, o principal desafio da implantação do programa será a conscientização. As empresas de contabilidade terão que manter uma comunicação eficiente e constante com os clientes para que os documentos sejam enviados com antecedência. Só assim a alimentação de dados exigida pelo eSocial será feita em tempo real e dentro do prazo. Postado: 14/09/2018

Deixe o seu comentário

0Comentários

Voltar