ESPECIALISTAS CRITICAM MUDANÇAS PARA TIRAR CARTA DE MOTORISTA

Técnicos e especialistas em trânsito e engenharia de tráfego criticaram a redução do número mínimo de aulas para tirar a CNH, a Carteira Nacional de Habilitação, medida que começou a vigorar esta semana e que inclui entre outras questões o processo para guiar motos de até 50 cilindradas, as conhecidas “cinquentinhas”.

“Quando reduzimos a carga para baratear custos, aumentamos o risco de acidentes no futuro, e, como consequência, aumentar custos na área da saúde, por exemplo”, afirma o gerente técnico do Observatório Nacional de Segurança Viária, Renato Campestrini.

Para o presidente do Sindicato das Autoescolas do Estado de São Paulo, Magnelson Carlos de Souza, desburocratizar o processo é positivo, mas os condutores deveriam continuar fazendo aulas em simuladores.

VEJA O QUE MUDA

CNH categoria B
- Acaba a exigência de uso do simulador nas autoescolas para quem quiser tirar a CNH na categoria B. Fazer aulas no aparelho passa a ser facultativo;
- Com isso, cai o número de horas/aulas obrigatórias, que passarão de 25 para 20 horas. É a mesma carga-horária de antes do simulador ter sido adotado.

Moto até 50 cilindradas

- Durante um ano, quem quiser guiar cinquentinhas poderá fazer as provas teórica e prática sem ter feito aulas. -  - Somente se for reprovado, terá de passar por aulas práticas;
- A partir de setembro de 2020, voltam a ser exigidas as aulas, mas o número vai cair de 20 para 5 horas, sendo que uma delas dever ser noturna.
- No exame prático, o candidato poderá usar seu próprio ciclomotor — desde que o veículo tenha, no máximo, 5 anos de uso. Postado: 18/09/2019 Imposto de renda, IR

Deixe o seu comentário

0Comentários

Voltar