Entidades de caminhoneiros dizem que não haverá nova paralisação

Boatos foram espalhados em redes sociais

Mais uma série de boatos tem causando preocupação. No final de semana, circulou nas redes sociais uma imagem segundo a qual a União dos Caminhoneiros do Brasil (UDC - Brasil) estaria programando uma paralisação para os próximos dias. O texto não é assinado e não aparece telefone para contato ou site no documento.
A informação não é verdadeira.
Representantes das principais entidades do setor admitem estar negociando com o governo após a alta do preço do diesel anunciada pela Petrobras, mas se posicionaram contra uma nova greve dos caminhoneiros.
O aumento de 13% foi anunciado na última sexta (31). No sábado (1º), a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou que atualizará a tabela que define os preços dos fretes justamente em razão da variação no preço do combustível.
Mesmo assim, de acordo com o presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Bueno, não há chance de paralisação entre os associados da entidade.
A Associação Brasileira dos Caminheiros (Abcam) também afirma que não apoia uma eventual nova paralisação e acrescenta que não há indicativo de nova greve por parte dos caminhoneiros. Juntas, as associações reúnem 1,5 milhão de caminhoneiros.
A CNTA e a Abcam reiteram desconhecer uma entidade cujo nome aparece em imagens que circulam nas redes sociais. Nessa imagem, a União dos Caminhoneiros do Brasil (UDC) anuncia paralisação em até 10 dias, contados a partir de 30 de agosto.
Segundo Diumar Bueno, da CNTA, não há chance de paralisação entre os associados. Ele afirma ainda que nenhuma entidade sindical que coordenou e participou do movimento anterior está se organizando para uma paralisação.
Por isso, fique atento com boatos. Não ajude a disseminar fake news. Não compartilhe nem encaminhe mensagens, fotos, sem que tenha certeza de que são verdadeiras. Quem espalha mentiras, mesmo que de boa fé, está contribuindo com o caos.
  Postado: 03/09/2018

Deixe o seu comentário

0Comentários

Voltar