CONGRESSO MANTÉM COBRANÇA DE BAGAGEM EM VOOS

Sob a justificativa de que essa medida poderia ajudar a baratear viagens de avião, o Congresso Nacional manteve a decisão do governo e decidiu manter a cobrança de bagagens em voos domésticos.

Por 247 votos a favor e 187 contra, os deputados decidiram manter o veto do presidente Bolsonaro ao trecho que tratava sobre esse assunto na medida provisória que abriu o setor aéreo para o capital estrangeiro.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), argumentou que derrubar o veto faria com que companhias aéreas mantivessem os altos preços das passagens. Ao sair do encontro, Maia sinalizou que o acordo havia sido feito. “Se nos derrubamos o veto, vamos estar dizendo: Gol, TAM continuem operando cobrando esses preços horrorosos, caros e que inviabilizam o brasileiro a voar pelo nosso país”.

Representantes do governo e da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) também se reuniram com deputados nas últimas semanas para pedir a manutenção do veto. Um dos argumentos foi a atração de empresas de baixo custo (low cost) ao mercado doméstico.

A companhia chilena ultra low cost JetSmart, por exemplo, iniciou nesta terça-feira, 24, a venda de passagens aéreas entre três cidades brasileiras e Santiago, capital do Chile. Outras companhias estariam interessadas e, segundo uma fonte, teriam condicionado o avanço das negociações à manutenção do veto.
  Postado: 26/09/2019 Imposto de renda, IR

Deixe o seu comentário

0Comentários

Voltar